Agricultura e Conservação

O QUE É

A Agricultura de Conservação (AC) consiste numa abordagem diferente à utilização do solo, com recurso a um conjunto de práticas agrícolas que permitem o maneio do solo com a menor alteração possível da sua composição, estrutura e biodiversidade natural, promovendo a preservação dos recursos naturais.

 

As práticas agrícolas incluídas na AC assentam em três princípios fundamentais:

  • Mobilização de conservação
  • Cobertura permanente do solo
  • Rotação de culturas

MOBILIZAÇÃO DE CONSERVAÇÃO

  • Sementeira direta (No-Till)
    • Não existe mobilização do solo antes da realização da sementeira.
    • Utiliza obrigatoriamente herbicidas de pré-sementeira para controlo das infestantes.
    • Utiliza semeadores especialmente concebidos para abrir um sulco, colocar a semente à profundidade desejada, fechar o sulco e promover o contacto entre o solo e a semente, em solo não mobilizado.
    • A cobertura permanente do solo com biomassa, reduz em mais de 90% a erosão do solo.

  • Mobilização na zona (Strip-Till)
    • Mobilização do solo feita em faixas de largura variável onde se realiza a sementeira em simultâneo ou não.
    • Sem limitações ao tipo de alfaias a utilizar (apenas que não provoquem o reviramento do solo) uma vez que a cobertura do solo pelos resíduos da cultura anterior é assegurada nas zonas não mobilizadas.
    • Obriga à utilização de herbicidas de pré-sementeira para controlo das infestantes nas faixas não mobilizadas.

  • Mobilização mínima
    • Toda a superfície da parcela é mobilizada.
    • Utiliza alfaias de mobilização vertical.
    • Exclui a utilização de alfaias que promovam o enterramento dos resíduos (reviramento) e/ou a pulverização excessiva do solo (charruas e fresas).
    • Utiliza grades de disco apenas em situações em que quantidades elevadas de resíduos não permitam o trabalho das alfaias de mobilização vertical.
    • Cobertura do solo pelos resíduos da cultura anterior, após a sementeira, acima dos 30 %.
    • Reduz em mais de 60% a erosão do solo.

Mobilização de Conservação vs Mobilização Convencional
Tecnologia
Nº Operações
Descrição
Equipamento
Tecnologia

Sementeira direta

Nº Operações

1

Descrição

Sementeira direta c/mobilização só na linha de sementeira

Equipamento

Semeador de discos e/ou bicos adaptado para sementeira direta

Tecnologia

Mobilização na Zona

Nº Operações

1 a 2

Descrição

Mobilização de uma faixa de largura variável + Sementeira

Equipamento

Subsolador + Semeador (*)

Tecnologia

Mobilização mínima

Nº Operações

Mínimo (baixo)

Descrição

Mobilização de todo o solo + Sementeira

Equipamento

Chisel, cultivador, grade + semeador (*)

Tecnologia

Mobilização Convencional

Nº Operações

Mínimo a variável

Descrição

Mobilização de todo o solo + Sementeira

Equipamento

Charrua, Chisel, cultivadores, grades, rotovator + semeador (**)

(*) As operações podem ser realizadas em separado ou numa só passagem
(**) As operações podem ser realizadas em separado ou em poucas passagens

COBERTURA PERMANENTE DO SOLO

O uso de coberturas vegetais é uma prática que permite ao agricultor proteger o solo e, simultaneamente, conseguir um aporte de nutrientes ao mesmo.

Nas culturas anuais trata-se de manter o solo coberto ao longo de todo o ano, com culturas intercalares ou de cobertura, ou com os restos da colheita do ano anterior, os quais se deixam espalhados sobre o solo.

Nas culturas permanentes trata-se de manter as entre linhas com uma cobertura vegetal, semeada ou espontânea, ou com uma cobertura morta, por exemplo, os restos das podas da cultura principal.

ROTAÇÃO DE CULTURAS

A rotação de culturas consiste na sementeira anual de diferentes culturas no mesmo terreno e segundo uma ordem definida. É recomendável alternar espécies com diferentes níveis de exigência quanto aos fatores de produção, e com sistemas radiculares diferentes. No sequeiro deve incluir-se na rotação uma época de pousio, sendo este revestido de preferência com uma leguminosa.

BENEFÍCIOS

AGRONÓMICOS

A Agricultura de Conservação tem efeitos positivos ao nível das características químicas, físicas e biológicas do solo, permitindo:

  • A redução significativa da erosão.
  • O aumento do teor de matéria orgânica do solo
  • A melhoria da estrutura do solo
  • Melhor desenvolvimento radicular
  • Maior disponibilidade e aproveitamento dos nutrientes
  • Aumento da taxa de infiltração e conservação da água do solo
  • Melhoria da produtividade dos solos

aposolo - Benefícios agronómicos - solo bem estruturado - mão a segurar um pedaço de terra vermelha

AMBIENTAIS

  • A redução significativa da erosão
  • Prevenção e regulação de inundações
  • Menor trafego de máquinas nas parcelas com a redução das emissões de co2 para a atmosfera
  • Aumento do sequestro de CO2 com armazenamento de carbono no solo sob a forma de matéria orgânica
  • Aumento da biodiversidade do solo
  • Mitigação e adaptação às alterações climáticas
  • Regulação dos ciclos da água, do carbono e do azoto

aposolo - Benefícios ambientais

ECONÓMICOS

A AC contribui de uma forma direta e indireta para a redução dos custos de produção. Ao dispensar as tradicionais mobilizações do solo para a instalação das culturas, consegue-se:

  • Reduzir as necessidades de mão de obra
  • Poupança de combustível
  • Menores gastos com a manutenção dos equipamentos
  • Poupança em água e agroquímicos

03 - aposolo - benificios ambientais - homem a conduzir trator no meio do campo